A relação entre signos e planetas: diginidades essenciais

Governantes do domicílio (Regência)

 
Os planetas governam os signos do zodíaco e a atividade de um signo é em grande parte determinada pelo planeta, que o governa. O planeta que rege o signo é uma espécie de extensão do próprio signo. Na prática, a posição de um planeta em um signo diferente daquele (s) que ele rege e sua posição em outra casa liga os assuntos dos signos e das casas que rege aos assuntos do signo e da casa que ocupa e, assim, estabelece uma base sobre a qual uma delimitação significativa pode ser sediada. Também é muito importante saber que se um determinado planeta está sob tensão, os signos que rege também estão sob tensão, assim como os negócios das casas a que esses signos correspondem.
 

Signo

Regente

Áries

E

Touro

C

Gêmeos

D

Câncer

A

Leão

B

Virgem

D

Libra

C

Escorpião

E

Sagitário

F

Capricórnio

G

Aquário

G

Peixes

F

 

Exaltação

Um planeta exaltado é sobrenaturalmente forte. Isso significa no sentido literal. Devido à essência do signo, o planeta opera com mais eficiência do que naturalmente (ou seja, de acordo com sua natureza). Isso afeta dramaticamente o que promete de uma forma que mostra que é mais forte do que o planeta no governo. No entanto, a influência de um planeta exaltado é instável. Seus efeitos não são duradouros e, por isso, não é considerado tão forte ou digno quanto um planeta governado.
 

Signo

Exaltação

Áries

B

Touro

A

Gêmeos

-

Câncer

F

Leão

-

Virgem

D

Libra

G

Escorpião

-

Sagitário

-

Capricórnio

E

Aquário

G

Peixes

C


Triplicidade

Como o governante por signo e o governante por exaltação, os governantes da triplicidade governam o signo que cai na cúspide de uma determinada casa. No entanto, observe que ao lidar com os governantes da triplicidade, você deve considerar TODOS os três governantes e não um único planeta, como faria com as outras dignidades.
 

Regentes da triplicidade

Elemento

Diurno

Noturno

Participante

Fogo

B

F

G

Ar

G

D

F

Água

C

E

A

Terra

C

A

E

  
Exemplo de uso da técnica: vamos supor que você deseja saber se suas finanças serão boas durante um determinado período de sua vida (assumindo uma vida média de 75 anos).
 
Seja o mapa diurno com Áries na cúspide da 2ª casa.
 
Áries é um signo de Fogo. Portanto, olhamos para a tabela e você verá que o Sol é o primeiro governante da triplicidade, seguido por Júpiter e depois Saturno.
 
Agora relacionamos isso à questão que estamos investigando. O Sol é o primeiro governante da triplicidade. Isso equivale ao primeiro terço da vida. Júpiter é o segundo governante da triplicidade e é o governante do segundo terço da vida. Saturno é o terceiro governante da triplicidade e o governante do terceiro terço da vida.

Seita

Sol, Júpiter, Saturno são da seita diurna
Lua, Vênus, Marte são da seita noturna
 
Um dos conceitos mais fundamentais da astrologia é a distinção entre mapas diurnos e noturnos, que é conhecida como "seita". Do ponto de vista prático, seita é uma distinção qualitativa que altera principalmente a maneira como os benéficos e maléficos funcionam em um determinado mapa. Isso se torna uma grande parte do motivo pelo qual os benéficos nem sempre são vistos como funcionando de maneiras totalmente positivas, bem como por que os maléficos nem sempre são vistos como totalmente negativos. Seita é o principal critério que os astrólogos clássicos usariam para determinar onde cada planeta cai no espectro benéfico/maléfico em um determinado mapa. Apesar de sua importância, seita é um dos principais conceitos que não sobreviveu na astrologia moderna, e foi apenas nas últimas duas décadas que começou a ser usado novamente na tradição astrológica.
 

Comments

Moderação ativada